top of page
  • Abner Vellasco

Como funciona um seguro de vida? Tire suas dúvidas aqui



Todo adulto sabe que a vida é feita de altos e baixos, conquistas e aprendizados, facilidades e desafios. Imprevistos acontecem e, como o nome já diz, eles vêm quando menos se espera.


Para se prevenir e evitar que uma ocorrência dessas prejudique você mesmo e a sua família, existe o seguro de vida.


O ideal é se informar sobre o funcionamento básico desse serviço e entender quais coberturas ele oferece antes de assinar qualquer contrato. E foi pensando em ajudar a entender o que é e como funciona um seguro de vida que resolvemos preparar um post completo sobre o assunto.


O que é seguro de vida?

Ele é um serviço que protege financeiramente os seus dependentes em casos de falta ou dificuldades do provedor.


Em outras palavras, o seguro de vida é um contrato que você (beneficiário) faz com a seguradora para ter certeza de que sua família ou seus dependentes ficarão protegidos financeiramente no caso de sua falta.


No geral, a cobertura básica é contra o falecimento de quem contratou o seguro. Entretanto, isso pode variar de acordo com o produto ofertado pela seguradora e com as preferências do titular. Ele pode ser usado em vida pelo próprio segurado, como nos casos de doenças graves, invalidez, e outros.


Como funciona um seguro de vida?

O seguro de vida é como um contrato em que a seguradora paga uma indenização se algum dos eventos previstos na apólice efetivamente acontece.


Em caso de morte do titular do seguro, a indenização é paga aos beneficiários escolhidos no momento da contratação. Não havendo um, são os dependentes legais que recebem o valor.


Para ter direito à proteção, o segurado paga pelo serviço mensalmente, semestralmente ou de uma só vez, logo no ato da contratação, a depender das opções de pagamento oferecidas pela seguradora. Assim, durante todo o prazo de vigência do seguro, essa relação permanece ativa.


Para proteger os segurados, quem regulamenta e fiscaliza o setor é a Superintendência de Seguros Privados (Susep), que estabelece regras para definir quais empresas podem atuar com esse produto.


Desde que escolha uma seguradora bem conceituada e autorizada pela Susep, você não corre o risco de ficar desprotegido quando mais precisar de apoio.


Qual a importância da apólice?

A apólice nada mais é que o documento que formaliza o contrato, reunindo informações importantes, como as coberturas previstas, as condições para direito à indenização e os riscos excluídos — situações que o seguro não cobre.


É fundamental ler a apólice antes de assinar o contrato, além de manter uma cópia consigo, preferencialmente em um lugar ao qual seus familiares e pessoas de confiança tenham fácil acesso.


Afinal, a apólice define aspectos como o papel da seguradora e do segurado, especificando também como o resgate da indenização deve acontecer.


Quais tipos de seguro de vida existem?

Ao contrário do que se pode pensar, o seguro de vida pode ter mais de um titular. Na realidade, existem certas modalidades que oferecem coberturas para famílias ou grupos de pessoas. Conheça agora os principais tipos!


Seguro de vida individual

Como o próprio nome já diz, é o tipo de seguro de vida no qual o titular é a única pessoa coberta. Ou seja, com essa cobertura, caso o titular venha a falecer (ou sofrer algum tipo de invalidez, dependendo da apólice e das particularidades contratadas), a família recebe um determinado valor financeiro.


Seguro de vida familiar

Essa modalidade é similar ao seguro de vida individual, com a diferença de que a cobertura se estende também para os familiares. Assim, se algo acontecer com o cônjuge ou com um dos filhos, por exemplo, o seguro também é acionado. É uma opção importante para casos em que a renda familiar vem de duas ou mais pessoas.


Seguro de vida resgatável

Em geral, o objetivo do seguro de vida não é gerar um ganho financeiro, mas sim proteger a família em casos de imprevistos. Porém, existem seguros de vida resgatáveis, nos quais o titular tem a possibilidade de retirar parte do valor que foi pago ao longo dos anos.


Seguro de vida em grupo

Esse tipo de seguro de vida costuma ser contratado por empresas, já que é uma ótima maneira de oferecer o benefício aos colaboradores. Nesse caso, todos os funcionários da empresa entram na cobertura prevista na apólice.


Seguro de vida temporário

O seguro de vida temporário traz as mesmas coberturas do seguro de vida tradicional, porém ele é válido só por um período determinado. Além disso, ele nunca é resgatável.


Esse tipo de opção é recomendado para jovens que ainda não acumularam bens, por exemplo. Isso porque esse seguro é mais barato do que um seguro vitalício. Então, é possível contratá-lo enquanto você constrói um bom patrimônio.


Em certos casos, pais de crianças pequenas ou adolescentes também optam por essa alternativa até que os filhos atinjam a maioridade.


Há ainda casos em que pode ser benéfico contar com esse tipo de seguro durante um planejamento sucessório ou preparação para sucessão empresarial, bem como a constituição de uma holding. O segurado pode, por exemplo, contratar o seguro temporário para o prazo necessário até constituir a holding que cuide do patrimônio por completo.


Caso venha a falecer antes de a holding estar constituída, o seguro pode ser utilizado sem que os sucessores ou herdeiros precisem passar por inventário.


Seguro de acidentes pessoais

Enquanto, no geral, o foco do seguro de vida é nos casos de morte, o seguro de acidentes pessoais cobre outras situações: invalidez temporária e morte acidental. Nesse caso, o capital segurado máximo pode ser mais baixo, sendo que o valor do prêmio também é consideravelmente menor que no seguro de vida tradicional.


É indicado, sobretudo, para profissionais autônomos e empreendedores que, em caso de acidente, perderiam a possibilidade de gerar renda.


Teve problemas com seu seguro de vida?

Fale com um advogado especialista!


Entre em contato pelos nossos canais:







5 visualizações0 comentário
bottom of page